Academia Brasileira de Medicina do Ativo Envelhecimento
DESTAQUE-OBESIDADE-TERCEIRA-IDADE

Impactos da obesidade na terceira idade e como evitar riscos futuros

Abmae

Impactos da obesidade na terceira idade e como evitar riscos futuros

No processo de envelhecimento, é comum que algumas enfermidades crônicas surjam. Por exemplo, os impactos da obesidade na terceira idade e também, em outras faixas etárias. Pensando nisso, é fundamental conhecer os impactos da obesidade na terceira idade e saber como orientar seus pacientes para evitar riscos futuros. 

O assunto é de extrema importância por causa de diversas complicações que a doença ocasiona, sejam elas isoladas ou associadas a comorbidades. Não apenas a hipertensão arterial e doenças cardiovasculares, como também outras doenças dominantes em pessoas da terceira idade são alguns exemplos. Portanto, quem está obeso tem um risco adicional.

A obesidade consiste no excesso de tecido adiposo no organismo, de forma crônica. Assim, a ingestão calórica torna-se maior do que o gasto energético. Ela está relacionada a aspectos ligados à adoção de dietas com alto valor energético, ricas em açúcares e gorduras de origem animal e pouca presença de frutas, fibras e verduras. 

Fatores que desencadeiam a obesidade

Não só uma rotina sedentária, como a adoção de dieta com alta densidade energética são fatores decisivos para aumentar a prevalência da obesidade. Além disso, existem múltiplos fatores que influenciam o consumo alimentar, como questões fisiológicas, sociais, econômicas e culturais. 

A priorização por alimentos de menor custo e, consequentemente, com menos valor nutricional, acaba impactando no aumento de peso, por exemplo. Como muitos idosos vivem em condições domésticas desfavoráveis, marcadas por solidão e isolamento, a procura por produtos industrializados e de fácil preparo também acaba sendo um fator determinante para prejudicar a nutrição.

Outra questão que influencia o desenvolvimento da obesidade é o surgimento de fatores psicossociais que são refletidos como distúrbio alimentar. Isso costuma ocorrer devido a situações de estresse, que desencadeia um aumento significativo de peso a partir do consumo compulsivo de alimentos, como forma de compensar os problemas.

Orientações para os impactos da obesidade futuramente

Um dos maiores focos do tratamento da é reduzir os impactos da obesidade e eventuais complicações, que podem ser fatais, principalmente em pessoas da terceira idade. Portanto, é necessário acompanhamento multidisciplinar. Além da farmacologia, é indispensável mudar o estilo de vida do paciente em questão. 

Os principais problemas que devem ser evitados e controlados quando se está obeso na terceira idade são: 

  • Diabetes;
  • Aumento do colesterol, pois isso favorece infarto e Acidente Vascular Cerebral (AVC);
  • Gota;
  • Hipertensão;
  • Artrose;
  • Insuficiência renal; 
  • Aumento de agravantes de doenças ligadas a demência;
  • Apneia do sono;
  • Coronariopatia;
  • Esteatose hepática. 

A verificação do Índice de Massa Corporal (IMC) regularmente é essencial para o controle. No caso de sobrepeso, o idoso deve procurar auxílio médico e nutricional, a fim de evitar o agravamento da situação e a suscetibilidade a tais enfermidades. 

Necessidade de cirurgia bariátrica

A cirurgia bariátrica pode beneficiar os pacientes, diminuindo os riscos gerados pela obesidade. Para tanto, é necessário avaliar caso a caso. Além de analisar as condições para considerar ou descartar o procedimento em função da idade, é indispensável avaliar se a pessoa que precisa fazer a cirurgia tem IMC igual ou superior a 40 kg/m² ou IMC igual ou maior que 35 kg/m² (com a comprovação de enfermidades associadas, desde pressão alta até diabetes ou colesterol elevado). 

Ficou com alguma dúvida? Clique aqui para falar com a Academia Brasileira de Medicina do Ativo Envelhecimento (ABMAE).

Leia também: A importância da evolução da medicina para a longevidade aliada à especialização de médicos

 

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.